Saturday, 29 August 2015

E mais crônicas III...Algumas observações sobre gravidez no Brasil e na Inglaterra

Gravidez no Brasil e na Inglaterra são encaradas de forma completamente diferentes. O que salta aos olhos primeiramente é que no Brasil há muito mais intervenção médica que aqui. Talvez essa seja a diferença mais óbvia mas há outras também...eu sei que deve haver outras mas este post e fruto da minha ongoing experiência. Eu vou aprender mais e mais com o passar do tempo. 

Médico x Midwife
No Brasil todo o acompanhamento da gestante ( assumindo que a mãe tenha plano de saúde – pois eu não sei como funciono no público) é feito pelo médico obstetra. Ele acompanha a gestação do começo ao fim, ouve as reclamações, faz os ultra-sons e verifica se tudo está se desenvolvendo como deveria e  claro finaliza com o parto. 
Na Inglaterra esse acompanhamento é todo feito pela midwife (enfermeira obstetrícia). Elas fazem tudo, a primeira consulta depois que a gestante informa ao GP que está grávida é com ela. Elas são a conexão entre a gestante e o hospital, dão conselho, se houver alguma dúvida ou problema é para elas que a gestante liga. E elas fazem o parto também. Acompanham o parto, e o médico só é acionado se houver complicações. 
Há vantagens e desvantagens desse sistema. Ter um médico – que estudou por pelo menos 10 anos – para te atender e ver se tudo está bem pode fazer a gestante se sentir mais segura. E tranquila.
Do outro lado, o acompanhamento com a midwife não e pior nem elas tem pouco conhecimento - pois elas são enfermeiras especializadas. Na minha opinião a grande vantagem da midwife e o acesso a ela,  muito mais fácil e direto que com médico.   

Parto Normal x Cesariana
Todas as mulheres, amigas, irmã, cunhada - da minha geração – deram a luz por meio de cesariana. Cirurgia marcada pelo médico, de acordo com a conveniência dele. Eu acho que na minha cidade nenhuma criança nasce no fim de semana. No Brasil cesariana é a regra e parto normal a exceção. Os médicos até estimulam fazer a cesariana – já que o plano cobre, porque não? – como se uma operação fosse algo trivial.
O principal argumento para a escolha do parto cesariano é a dor. Como é uma cirurgia, a gestante tem a garantia de um parto indolor. A recuperação já é outra estória; é mais longa, a cicatriz vai ficar lá para vc lembrar para sempre.
Eu acho uma pena que as coisas sejam assim. Antes eu nunca havia pensado nisso, mas agora e depois de ter me informado eu comecei a entender que essas duas formas de dar a luz não são as únicas. Eu comecei a ler o livro The Good Birth Companion por Nicole Croft e o meu medo de dar a luz está começando a diminuir. O livro é bem explicativo e li sobre a fisiologia do corpo na hora do parto, o que muda, a cadência da dor, mas principalmente que parto normal não é bicho-papão.
Aqui a maioria das mulheres/mães que eu conheço fizeram parto normal. Cesariana é opção quando a mãe ou o bebê correm perigo de vida ou a mãe tem algum problema onde a intervenção cirúrgica é necessária. E só. Parto natural é visto como a melhor opção para a mãe e para o bebê. E eu assino em baixo nessa idéia.
  
Ultrassonografia
O NHS (sistema público de saúde Inglês) oferece 2 ultra-sons gratuitos para todas as gestantes. Um terceiro ou mais é oferecido somente em casos de gravidez de risco, de gêmeos, casos de placenta previa e outros. E isso é tudo, ladies and gentlemen! Não há ultrassom sem motivo, para ver de novo, nem para ver baby só mais uma vez. Não há nada disso. 
Caso a gestante queira mais scans, ela pode pagar por um ou quantos quiser numa clinica privada. Eu optei pelo tratamento dado pelo NHS somente, pois eu acredito numa gestação sem muita interferência e pentelhice. E mais, muito scan não é bom. 
O propósito do scan e ver se o neném está saudável, nãé igual ir a manicure fazer unha toda semana. A minha mãe por exemplo não teve scan nenhum nas cinco gestações dela. Talvez seja por isso também que eu ache um pouco exagerado mães modernas que somos agraciadas com essa benção de ver o nosso baby crescendo... abusar disso, e ter 14 scans numa gestação!!

Amamentação 
Talvez essa seja a única coisa que os estilos de maternidade entre BR e IG se encontram. A minha mãe sempre disse que ela amamentou todos os filhos dela por 12 meses e que amamentar é fundamental para o crescimento da criança. Ela não é medica, nem enfermeira, ela parte do princípio que se é natural é bom para o bebê.
Ela também diz que amamentar dá trabalho, é cansativo e que muitas mães decidem dar fórmula porque é mais rápido e fácil. Eu concordo com ela, eu fiquei horrorizada com uma colega que disse que tinha pouco leite e que por isso tinha optado pela fórmula. Por favor, não propaguem uma inverdade dessas. Não existe isso de pouco leite. Isso é lenda.  
Claro que tirando os casos em que há complicações e que a mãe não pode amamentar mesmo, a fórmula é substituto à altura e graças a Deus que existe!! 
No Brasil amamenta-se por pelo menos 6 meses mas a maioria das mães que eu conheço amamentou por 9 ou 12 meses. O que é ótimo para o bebê. Aqui é a mesma coisa. 

Em geral eu acho que as coisas aqui são mais simples, o foco está em ter parto normal, em criar os próprios filhos já que a maioria das famílias não têm empregada ou baba.

Ninguém está nem aí com status, e milhões de ultrassons, nem se você têm o berço mais caro da loja. As mães que eu conheço trocam tudo, dividem tudo, e tem muito menos frescura na criação dos filhos que as mães brasileiras que eu conheço (desculpe não quis ofender ninguém mas esse relato é baseado na minha experiência).

Essa miscelânea de informação e diferenças tem me ajudado a sedimentar as minhas próprias opiniões como gestante. Para mim o mais importante e a abordagem mais simples, guiado pela mãe natureza. Eu sou adepta disso. 100%. Só espero que seja na hora de dar à luz ou amamentar o meu corpo se abra para essa experiência. Que tudo corra bem. E que tudo dê certo. Assim como Ele ajudou a minha mae a ter filhos de forma natural e saudável. E isso que eu peço a Deus. 


No comments:

Post a Comment

I love comments, they make my day. Let me know you stopped by.