Wednesday, 25 January 2017

Sem beijos sabor de menta...

Segunda-feira, a passada -  dia nove, meu M fez um aninho. Um ano passou se foi, um ano de tantas transformações internas (estou mais madura), externas (estou mais velha ), financeiras (estou mais pobre :) e no meu relacionamento (estamos mais cansados)... às vezes lendo as páginas da vida e o que as pessoas dizem por aí eu ainda me surpreendo como um bebê pode mudar tanto a vida de um casal.

A semana toda sim... eu pensei na felicidade que é, e está sendo criar um ser humano... mas estranhamente eu acabei pensando muito mais no L e em mim; e em como nós fizemos isso. Finalizamos um ano e começamos outro.. I mean como a dinâmica entre nós dois mudou, e em geral como as prioridades mudam, a rotina virou de cabeça pra baixo, as longas noites quando os dentinhos estão nascendo, ou os dias de vacinação e outras manhãs onde há um certo ressentimento de ver o outro menos cansado que voce...

Outro dia uma amiga me minha disse “parece ser tão fácil para vocês dois”… eu fiquei um pouco surpresa com o comentário porque nothing could be further from the truth. Eu tenho orgulho de ter um relacionamento de verdade…sabe aqueles…um dia o pau quebra mesmo, a paciencia acaba, a bagunca me da nos nervos e a vontade e mandar o rapaz ir catar coquinho na praia...noutros dias e ceu de algodao doce….

Mas o grande tchan de ter filhos sao as expectativas… o cansaço. A permanente falta de tempo... nao e a toa que relacionamentos terminam… porque é difícil para caramba deixar os nossos pequenos egoísmos e pensar no outro… porque noites românticas e Champagne viram pão com ovo e suco de laranja; viagens sem eira nem beira se transforman em férias “com piscina e área de lazer para crianças”, sessão cinema na sexta feira vira capotar na cama às 9 horas com esperança de dormir 5-6 horas ininterruptamente.
Claro que isso não dura para sempre, claro que o bebê vai dormir a noite inteira, claro que as fases vêm e vão…e elas passam…mas passar por elas, é que são elas…e e ai que mora o perigo.

No meu caso ja que nossas famílias não estão disponíveis a qualquer hora, e ajuda “free of charge” e luxo… nos tentamos intercalar nossos dias de folga, porque o amor e muito mas o corpo precise de repouso mas mesmo assim...não foi, não é e nao será facil. 


A celebração da semana que passou não foi só a do aniversário do M mas também ao amor do dia-a-dia, do cabelo desgrenhado, dos pijamas largos, de deixar o outro dormir uma meia-hora extra no Sábado de manhã, do café pronto quando vc acorda, do ir a padaria “porque o pão acabou e eu sei que vc não dormiu bem a noite”. A celebração foi à esse amor, simples, humano, amigo, solícito, esse amor que para muitos não parece romântico mas que para mim, é o verdadeiro. Sem frufru nem rosas vermelhas. Sem sorriso Colgate e beijos sabor de menta. 

xx G

3 comments:

  1. Um texto muito real, no entanto não deixa de ser um texto bonito, deve ser porque cheira a genuíno. O último parágrafo é brilhante. O título muito bem escolhido.

    Beijinho, Giselle. Para si e para o seu bebé, sem esquecer o amor da sua vida. Sem os conhecer, torço para que a vida sorria sempre para esse lado, para os três :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. This comment has been removed by the author.

      Delete
    2. This comment has been removed by a blog administrator.

      Delete

I love comments, they make my day. Let me know you stopped by.